29 de junho de 2016

Junho em São Bento

Quase 20 dias de escalada.
Complexo da Pedra do Baú 
Escalada no Quilombinho

Seve no Força de Gaia V4 no àreas.

Bloco do Chà


Isis no Tesourinha, V3

Greg no Bigode V4



Escada da Face Norte do Baú

Cumbre!!


Greg no Leningrado V3


Greg no Stalingrado V5, Setor Vermelho, Falésia dos Olhos

Notas do Subterráneo V8

Isis limpando a mamão com açucar IV em móvel na falésia Vista Aérea

Boulder São Carlos V7, tradicional linha nos blocos da vista aérea



José no boulder buracos, boulder do monjolinho


Nice to micthel V6

Rê Leite na Aparthaide Muscular 7b no Quilombo

Na Voodo 8a




Greg virando o Rego do Panda V4 no pico Rubinho







Subindo pra Ana Chata






Via nova no Quilombo, 13 de Maio 8c

30 de novembro de 2014

Pedal Rio Claro-Serra de Corumbataí

Esse domingo fiz um pedal muito massa. O destino era a Serra de Corumbataí. No total são 70 km que fogem um pouco da monotonia dos planos daqui do entorno de Rio Claro. Os Tracklogs estão disponíveis nesse link.
Acabei fazendo sozinho, já que ninguém apareceu, nem em Rio Claro, nem em Corumbataí. Mas valeu, foram 3:20 de pedal.

Abraços, André.

No caminho para Corumbataí


Estrada Municipal Rio Claro-Corumbataí

Comecinho da primeira subida da Serra.



Alto da Serra.

16 de novembro de 2014

Sabadão de sol no Cuscuzeiro

Ontem Koberle e eu fomos pro Cuscuzeiro. Tava um tempo bom na sombra, com o sol tostando. Então fomos pros Distúrbios, setor bom pra escalar qualquer parte do dia. O único problema é que em certas épocas de chuva ele fica molhado, o que não é o caso com essa seca que atravessa a região.
Aquecemos nos Distúrbios de Jah 7a, eu equipei e Koberle limpou.

Descemos do setor e fomos pra via "Xeque -mate", ali perto, que até pouco tempo atrás estava desativada, sem as chapeletas. A via fica bem em frente a uma pedrona no caminho da Carteirinha, setor Distúrbios. Rodrigo Genja e eu abrimos a via em 2009 e conseguimos escalar ela por uns 6 meses. Depois disso começou a escorrer água, as chapas começaram a enferrujar e não era possível escalar.


Furando em 2009, com a primeira furadeira do CUME, uma Bosch.

Recentemente as chapas foram recolocadas, já que a via ficou seca.
Koberle equipou a viazinha até a sexta chapa, escovou tudo, deu uma bela limpada e lembrou de vários lances. Entrei nela torando no começo, passei o crux e pedi pra pegar, mas do nada toquei um lance, desencanei de se jogar. O finalzinho saiu na furia pra mandar, não lembrava nada e era o único pega, depois de 5 anos de conquista da via.
Na época lembro que era um 8c hard, que se o caboclo entrasse equipando as costuras e mandasse a vista, com certeza nono.
Hoje tem um descanção entre a terceira e quarta chapa que a gente não usava, tocava direto e ficava mais exigente. Ficam as opções, pq da pra passar pela esquerda (no descanço) ou pela direita.
O negócio é que a via é filé demais, e muito bem protegida.
Fernando Koberle no início em abaulados da via.

Levemente negativa no começo.

Pra finalizar o dia queria escalar a Cascavél, um 7a do lado do setor Bundão, mas estava sol demais. voltamos e finalizamos na Fly or Die 7a! que via top também...

Até, Frango